"Como dois e dois são quatro/Sei que a vida vale a pena/Embora o pão seja caro/E a liberdade pequena" (Ferreira Gullar)
Meu Diário
16/08/2020 17h35
OS TRONCOS MISSIONEIROS NO JC

São os troncos missioneiros
Fazendo fogo e fumaça
Resgatando do passado 
O legado de uma raça
São Noel e Cenair
O Jayme mais o Ortaça

Parabéns ao JC
E à jornalista Larissa
Pela bela reportagem
Que ao nosso saber atiça
Para sabermos quem somos
Só conhecendo as premissas.

Leia a matéria clicando abaixo:

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/especiais/reportagem_cultural/2020/08/751378-pedro-ortaca-mantem-viva-a-musica-missioneira.html

Matéria especial publicada no caderno Viver, do Jornal do Comércio, de Porto Alegre, edição de 14, 15 e 16 de agosto de 2020, assinada pela jornalista Larissa Burchard.

 


Publicado por Landro Oviedo em 16/08/2020 às 17h35
 
11/08/2020 18h08
DIA DO ADVOGADO, DIA DE QUEM É INDISPENSÁVEL

     Ainda que possa parecer contraditório, bom seria ter uma sociedade em que a necessidade de recorrer um advogado ou advogada fosse a exceção e não a regra. Infelizmente, enquanto houver injustiças sociais, enquanto houver letras pequenas num anúncio, enquanto não houver o devido respeito aos direitos humanos, enquanto o capital for sanguessuga da força de trabalho, enquanto o Estado fizer pouco das garantias civis, enquanto os contribuintes tiverem que produzir para sustentar uma elite econômica e tirânica, enquanto parlamentares legislarem em causa própria, enquanto a cúpula do Judiciário for escolhida a dedo pelo governante de plantão, enquanto as desigualdades foram abafadas pelo discurso da meritocracia, enquanto houver machismo justificando feminicídios, enquanto houver crianças e animais abandonados pelas ruas, enquanto houver idosos confinados sob maus-tratos, enquanto o meio ambiente for destruído pelo agronegócio predatório, a figura do advogado será imprescindível.
     Depois disso, poderemos, enfim, sentir que nosso dever foi dignamente cumprido.
     Feliz Dia do Advogados a todos os que militam nesta nobre e imprescindível profissão.

Foto: Costa & Advogados Associados


Publicado por Landro Oviedo em 11/08/2020 às 18h08
 
29/07/2020 21h55
CONVITE PARA O CANAL DO CANTOR JADER LEAL

     Eu conheci o cantor, compositor e violonista Jader Leal no bar e restaurante Estância de São Pedro já faz cerca de duas décadas (é, meus amigos, o tempo avoa), fazendo dupla com o gaiteiro Valdemar. O estabelecimento tinha a chancela do Délvio Oviedo e dos proprietários Nádia e Ulisses Ferreira. Eu era tão assíduo por lá que só saía pra trabalhar.
     De primeira, eu já gostei da verve e do talento do Jader, foi uma amizade à primeira vista. Sua voz, inconfundível e afinada, com fonemas de campo e céu, aliada a um repertório de fundamento, me cativou de pronto. Ficamos amigos e muita prosa sobre arte e vida trocamos naquele espaço, que não era mais comercial que afetivo, não mais de lazer que cultural, se é que me entendem.
     Naqueles tempos, pela Estância, passavam os principais músicos do RS, tal qual ocorrera, por exemplo, na antiga Pulperia. Fosse para cantar de ofício, fosse para dar uma canja, cada noite era uma vivência inesquecível. E foi nesse meio que o Jader foi encontrando seu espaço na música gaúcha, de forma segura e meritória.
     Um traço que me chamou a atenção no Jader Leal é que ele tornou-se um músico nativista por opção, por um sentimento nato de amor às suas raízes. Mas ele é um músico antes de qualquer adjunto adnominal, pois conhece muito de música brasileira e aprecia a boa arte, seja de onde for, com uma cultura musical e literária acima da média. Se cair numa roda de boemia, a noite com ele está garantida. Mas sua carreira se estruturou em torno de cantar as coisas do pago. Melhor pra nós.
     Pois agora o Jader está numa empreitada que consiste em angariar inscritos para o seu canal no YouTube a fim de poder incorporar novas ferramentas e possibilidades ao seu trabalho artístico. Eu faço um chamado a todos os meus amigos e amigas para que se inscrevam no canal e assim possamos todos desfrutar de sua criatividade e de seu cancioneiro. Fica abaixo o linque para realizar a inscrição. É carreira ganha. Abraços a todos!

     https://www.youtube.com/user/jaderleal


Publicado por Landro Oviedo em 29/07/2020 às 21h55
 
29/07/2020 15h56
REDAÇÃO DO CORREIO DO POVO - 1995

     Nesta foto de Ricardo Giusti, podemos ver os colegas jornalistas Eugênio Bortolon, Luis Schuch, Jurema Josefa, Armando Burd, "Xuxa" e Chico Izidro ao fundo. 



Publicado por Landro Oviedo em 29/07/2020 às 15h56
 
24/07/2020 06h01
ASSASSINATO DO PRIMEIRO MANDATÁRIO DE ITAQUI

Correio do Povo, 6.10.1920

O assassinato do dr. Octavio d’Avila 

Como se sabe, os drs. João Soares e Alberto Britto, aquelle juiz districtal e este ex-promotor publico desta comarca, haviam ido, ha tempos, a Itaquy, por determinação do presidente do Estado, afim de acompanhar o processo que esta sendo instaurado contra os autores do assassinato do dr. Octavio d’Avila, intendente daquelle municipio. Tendo, agora, regressado a esta capital, aquellas autoridades estiveram, ante-hontem, no palacio do governo, onde em longa conferencia, deram conta, ao dr. Borges de Medeiros, da missão que ali os levára.

...................................................................................................................

Correio do Povo, 15.9.1920

O assassinato do dr. Octavio d’Avila 

Hontem, pela manhã, o dr. Valentim Aragon, juiz districtal do crime, interrogou, longamente, o sr. Luiz Acylino Palmeiro e d. Ondina Boccanera, arrolados como testemunhas no processo a que estão sendo submetidos Ismail Floriano, Deocleciano Nunes da Silva, Paulino Dias da Silva, Silvano Dias da Silva, Raul Belmonte, Manoel Alves de Azevedo e Marcinho Pinto, denunciados pelo Ministerio Publico de Itaqui: os tres primeiros como autores e os outros como cumplices no assassinato do dr. Octavio d’Avila, facto esse, occorrido, o mez passado, naquelle municipio, do qual a victima era intendente. Tal interrogatorio foi feito em virtude de uma carta precatoria que o dr. João Soares, que é actualmente, em commissão o juiz districtal de Itaqui, remetteu á justiça daqui, para ser cumprida a referida precatoria.

...................................................................................................................

Correio do Povo, 7.8.1920

O assassinato do dr. Octavio d’Avila
Conforme antecipámos, o governo do Estado nomeou, em commissão, os drs. João Soares e Alberto de Britto para, respectivamente, exercerem as funcções de juiz districtal do crime e promotor publico da comarca de Itaquy. Afim de entrarem no exercicio de tal cargo, ambos seguirão, hoje, para aquella cidade, ali devendo iniciar logo as diligencias no sentido de ter andamento o processo que a justiça pública move aos implicados no assassinato do dr. Octavio d’Avila. Ouvimos dizer em rodas do fôro que, opportunamente, terá requerido o desaforamento daquelle processo de Itaquy para esta capital.

...................................................................................................................

Correio do Povo, 1º.8.1920

(Tópico 1)

O assassinato do dr. Octavio d’Avila

O dr. Mauricio Cardoso, advogado deste fôro, recebeu hontem, um telegramma do dr. Flores da Cunha, convidando-o para ser tambem advogado do seu constituinte, sr. Ismair Floriano, accusado como complicado no assassinato do dr. Octavio d’Avila, facto esse occorrido na cidade de Itaquy. O dr. Mauricio Cardoso, advogado deste fôro respondeu aceitando a causa.

(Tópico 2)

O assassinato do dr. Octavio d’Ávila

Itaquy, 31 - Acha-se aqui o dr. Flores da Cunha, que vem encarregar-se da defesa dos accusados do assassinato do dr. Octavio d’Avila. Encontra-se tambem, aqui, o dr. Getulio Vargas, deputado estadual, que por parte das familias Avila e Palmerio aceitou o mandato de accusação contra os mesmos accusados.

...................................................................................................................

Correio do Povo, 31.7.1920

A situação em Itaquy - Conforme notiámos, ha dias, o dr. Borges de Medeiros, presidente do Estado, em vista da situação anormal que momentaneamente se produziu em Itaquy, e decorrente do assassinato do dr. Octavio d’ Avila, solicitára ao general Ilha Moreira, commandante da 3ª Região Militar, que determinasse ao commandante da força federal aquartelada naquella cidade que mantivesse a ordem, até que lá chegasse um destacamento da Brigada Militar. O commando da Região deu, então, as providencias solicitadas pelo presidente do Estado, e, hontem, recebeu communicação do tenente-coronel Escobar de Araujo, commandante do 1º grupo de obuzes, aquartellado em Itaquy, dizendo que terminara, sem o menor incidente, a missão de que fôra incumbido em vista de ter chegado áquella cidade um destacamento da Brigada Militar.

...................................................................................................................

Correio do Povo, 30.7.1920

(Tópico 1)

O assassinato do dr. Octavio Davila
Na Cathedral Metropolitana, foi celebrado, hontem, ás 9 horas, uma missa de 7º dia, pelo dr. Octavio d’Avila, assassinado em Itaquy, no dia 22 do corrente. Além de numerosas senhoras, assistiram á cerimonia religiosa o dr. Borges de Medeiros, presidente do Estado; general Ilha Moreira, commandante da 3ª Região Militar; dr. José Montaury, intendente municipal; capitão tenente Lacê Brandão, delegado da Capitania do Porto; altos funccionarios, autoridades e muitas outras pessoas gradas. - Sobre as circunstancias em que se deu o crime de que foi victima o intendente de Itaquy, foram-nos prestados, além dos que já temos publicado, mais as seguintes informações: Ao regressar o dr. Octavio d’Avila da festa a que fôra assistir fóra da cidade, em certo logar encontrou a estrada obstruida por pedras propositalmente collocadas, com o fim de ser impedida a passagem de automoveis e facilitar a execução do assalto premeditado. Compreendeu desde logo o dr. Octavio d’Avila que era victima de uma emboscada; saltou do auto e nessa occasião surgiu do matto um grupo de cerca de vinte pessoas. Na occasião em que procurava sacar do revólver, recebe o primeiro balaço, que lhe attingiu. Com a mão esquerda, conseguiu elle puxar o revólver, alvejando os seus numerosos aggressores. Foi de nenhum effeito, porem, a sua reacção: uma cerrada descarga o prostou por terra, attingido por tres balas na cabeça.

(Tópico 2)

O assassinato do dr. Octavio d’Avila 
Itaquy, 29 - A cidade está normalizada. O dr. Bernardo Piffero, delegado de policia, agiu com calma e energia relativamente aos factos aqui ultimamente occorridos. Os criminosos fugiram para o territorio argentino, no dia immediato ao do crime.

...................................................................................................................

Correio do Povo, 29.7.1920

O assassinato do dr. Octavio d’Avila - A exma. sra. d. Maria Faustina d’Avila, progenitora do dr. Octavio d’Avila, intendente municipal de Itaquy, assassinado, ha dias, naquelle municipio, quando regressava de um passeio de automovel, convidou, por telegramma, o dr. Getulio Vargas, deputado estadoal, residente em S. Borja, para, na qualidade de seu advogado, acompanhar o processo. O dr. Getulio Vargas aceitou este convite, devendo, hoje ou amanhã, chegar a Itaquy.

...................................................................................................................

Correio do Povo, 28.7.1920

A situação de Itaquy

Santa Maria, 26 - Para Itaquy, provindo dahi, seguiu um destacamento de trinta praças da Brigada Militar, sob o commando do capitão Pedro Braga, e que foram requisitadas pelo sub-chefe de policia daquelle municipio.

...................................................................................................................

Correio do Povo, 27.7.1920

A situação em Itaquy

     Como se sabe, foi assassinado, no dia 22 do corrente, em Itaquy, o dr. Octavio d’Avila, intendente daquelle municipio, tendo seguido para a referida cidade o dr. Eurybiades Dutra Villa, sub-chefe da 2ª região policial. Agora, sabe-se que ha ali graves ameaças de perturbação da ordem, pois o dr. Borges de Medeiros, presidente do Estado, recebeu communicação telegraphica, dizendo que grupos armados pretendiam depôr as autoridades municipaes. Como não ha nenhum destacamento da Brigada Militar aquartelado em Itaquy, o dr. Borges de Medeiros solicitou do general Ilha Moreira, commandante da 3ª Região Militar, que determinasse ao commandante da força federal aquartellada naquella cidade que mantivesse a ordem, até que chegasse um destacamento da Brigada Militar. Noticias vindas de Itaquy accrescentam que o “chauffeur” que guiava o automovel, no qual viajava o dr. Octavio d’Avila, tambem recebeu um ferimento.

...................................................................................................................

   

Correio do Povo, 25.7.1920

O assassinato do dr. Octavio d’Avila

Cruz Alta, 24 - Seguiu, hontem, para Itaquy, o dr. Eurybiades Dutra Villa, sub-chefe de policia da 2ª região, que ali vae syndicar sobre o assassinato do dr. Octavio d’Avila, intendente daquelle municipio.

..............................................................................................................

 

     No dia 24 de julho de 1920, o Correio do Povo noticiava a morte do intendente de Itaqui com arma de fogo e muitos envolvidos numa emboscada. Reproduzimos a seguir o texto publicado no jornal:

O assassinato do dr. Octavio d’Avila - Conforme telegramma que, hontem, publicamos, foi assassinado, ante-hontem, em Itaquy, o dr. Octavio d’Avila, intendente desse municipio. Despacho recebido pelo sr. José Bertaso, commerciante desta praça, e cunhado da victima, diz estar verificado que o assasssinato foi praticado de emboscada pelo fazendeiro Ismair Floriano Machado, auxiliado por Deocleciano Nunes da Silva e mais seis homens armados com armas de guerra. Assim que o dr. Borges de Medeiros, presidente do Estado, teve conhecimento do luctuoso facto, ordenou providencias, determinando que se promovesse a prisão dos autores.

     Certamente, este caso terá desdobramentos, com mais detalhes desta morte horrenda. Para nós, que somos de gerações posteriores a fatos marcantes como este, resta a constatação de que temos um passado pela frente. E, numa invocação de um primado da religião positivista, os vivos não deixam de sentir a presença onisciente dos mortos no seu cotidiano.

 

 


Publicado por Landro Oviedo em 24/07/2020 às 06h01



Página 3 de 121 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]


"A VIDA É BELA. QUE AS FUTURAS GERAÇÕES A LIMPEM DE TODO MAL, DE TODA OPRESSÃO E VIOLÊNCIA E A DESFRUTEM PLENAMENTE." (LEON TRÓTSKI)